terça-feira, 26 de novembro de 2013

Obélix e a síndrome misteriosa!!!

Obelix1.png (186×286)


Pois não…não venho falar de banda desenhada embora goste muito… e desta em particular! Também não me vou servir de Óbelix para dar o mote e falar sobre peso ou peso a mais…na verdade acho que isso nunca impediu o nosso gaulês de alcançar as suas vitórias e, aqui para nós, acho-o um verdadeiro charme se me esquecer da sua obsessão por assado de javali!!!
Hoje quero falar-vos da síndrome de Obélix…O quê???? Não me digam que não sabem o que é!!!....Não??? Não mesmo??? Está bem…eu explico-me melhor! Reparem bem na imagem e tentem  lembrar-se  das outras vezes que  vimos o nosso amigo, no decorrer das suas fantásticas aventuras, a passear de menhir às costas…estão a lembrar-se?...Muitas não é verdade?…Volta não volta, lá está ele...como se fosse sua missão carregar o que houver para carregar, pese o que pesar, custe o que custar, seja sua ou não a obrigação de carregar!!! E atentemos no fato de que um menhir, é muita pedra e coisa para pesar muito mesmo… sem contarmos sequer com a carga mística que lhe é inata….!
Pois eu conheço pessoas iguaizinhas ao Óbelix…interiormente claro, por que na verdade podem ter qualquer aparência ….altas, baixas, gordas, magras, frágeis, fortes, escanzeladas ou musculadas…uma coisa as une porém…a certeza de que são elas que têm de transportar nos ombros…às costas …ou onde conseguirem … os problemas, as tristezas, as ansiedades de todos os que as rodeiam, a carga que têm para si…mas também as dos outros…e quase  sem perceber passeiam-se penosamente pela história da vida com um peso suplementar que tende a esborrachá-las contra o chão, aniquilar-lhes a alegria e tirar-lhes o folgo para avançar no seu próprio e único percurso…! Tentam fazê-lo com um sorriso nos lábios…porque na verdade…são pessoas de bem …irão até onde conseguirem porque acreditam estar a fazer bem... mas com o tempo o sorriso murchará  e os passos ficarão lentos…em caminhos perdidos...então por fim esgotadas, pararão sem saber que fazer.
Se querem saber…porque o texto já vai longo…acho mesmo que, em algum momento da nossas vidas, todos nós passamos um pouco por esta experiência e, por um motivo ou por outro, acabamos enredados em coisas que não nos dizem respeito mas teimamos em resolver!  Confesso que durante muito tempo pensei mesmo que esta era a atitude mais correta…e que puxando tudo a mim ajudava os outros e que isso, por ser tão positivo para eles (julgava eu), justificava tudo o resto. Com o tempo…o tempo é tão bom mestre…com o tempo aprendi que nem sempre é assim e que por vezes substituir-nos a alguém naquilo que a esse alguém pertence, não aproveita a nenhum dos lados…Para crescermos precisamos de aprender a assumir as nossas cargas, aprender a transportá-las, ou a torna-las mais leves… a deixá-las simplesmente pelo caminho quando já não nos servem ou não precisamos delas…e isso só aprendemos se o fizermos nós!
Hoje em dia continuo a ajudar, a estar presente para os que precisam de mim, como não estaria???  Mas fiz um enorme esforço para começar a ajudar de forma diferente…como o velho ditado chinês… comecei a ensinar a pescar em vez de dar o peixe…pareço-me menos com Óbelix mas acredito estar agora no verdadeiro caminho…!


Panoramix.jpg (283×277)


Mas claro...se deitasse mão à poção mágica se calhar o caso mudava de figura!!!!!



Bom dia, bem hajam queridos amigos e desculpem qualquer coisinha (um texto longo, um pouco louco e escrito tão ao meu jeito!!!)







54 comentários:

  1. A questão da ajuda é complicada , temos sim que aprender a ensinar pescar o peixe!
    bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É também o que fui aprendendo...!
      Bjs
      Maria

      Excluir
  2. Maria,
    eu acho que também tenho um pouco desta síndrome do Obelix, que eu nem conhecia. Acho que com o tempo aprendemos a nos liberar deste fardo que carregamos para os outros. Quem sabe um dia eu aprenda? Estou tentando, fazendo a minha parte.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tal como eu Kati...estou também a tentar fazer a minha parte...quem sabe um dia aprendo de vez!
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  3. Bom dia Maria
    Eu também sou um pouco Óbelix.
    Por vezes carrego tanta coisa nas costas que depois percebo que não o devia ter feito.
    Toda a vida tenho carregado coisas"até coisas minhas" ,muitas vezes carreguei-as e escondi-as dos outros para não os sobrecarregar e hoje arrependo-me,vejo que nem isso devia ter feito,não ganhei nada com isso,quer dizer "ganhei" o rotulo de mulher forte,quase super mulher e a verdade não é essa,sou uma mulher como outra qualquer que tem os seus medos e que sofre como as outras pessoas.
    Maria hoje acredito que devia ter mostrado sempre o que sentia,passei o tempo todo a ouvir dos outros e a tentar ajudar e a esconder o que eu sentia.Para quê? Não ganhei nada com isso.
    Amiga desculpa o desabafo,mas ás vezes faz bem deitar as coisas para fora .
    Beijinhos e um bom dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Natália...nem sabes como te compreendo bem...gostei muito do teu "desabafo", obrigada pela confiança...e sim faz muito bem deitar as coisas para fora...ficamos mais leves!
      Beijinhos e uma boa noite para ti!
      Maria

      Excluir
  4. Se deitares a mão à poção avisa...

    ;)

    Beijo e resto de bom dia !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Registado...serás a primeira a saber!!!
      Bjs e agora já é boa noite!
      Maria

      Excluir
  5. Tenho tanto de Óbelix!......
    Acho que não é defeito é feitio e.... se tivesse a "poção mágica" era a cereja em cima do bolo.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que tenho lutado contra esta terrível síndrome...nem calculas...só há muito pouco tempo comecei a registar as primeiras pequenas vitórias...mas "tiradas a ferros".
      Beijinhos amiga
      Maria

      Excluir
  6. Nós podemos ajudar até o limite
    onde a pessoa deve caminhar com as próprias pernas.
    Como diz o proverbio chines:"Ensinar a pescar e não dar o peixe".
    Bjs amiga Maria e obrigada da visita.
    Carmen Lúcia-mamymilu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É também o que penso Carmen...obrigada pela visita amiga!
      Bjs
      Maria

      Excluir
  7. Ahahahahahah:)
    Muito gira esta analogia...sim senhora;) muito espirituosa esta minha Amiga:)
    Encontro umas certas parecenças com o Obélix eu, principalmente no bigode e na pança:)))

    Jinhooooosssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já devias saber que sou cheia de "truques" :)))! Eu por acaso encontro-te mais algumas parecenças , para além das óbvias que já referiste (Ahahahah!).
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  8. menina Maria, já me enviou email com os seus dados.
    desculpa-me se ja o fizeste mas ja me perdi, mas tenho quase a certeza que ainda não....
    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ups ...não enviei não...ando meia baralhada...já vou tratar disso!
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  9. Eu acho que todos nós caímos num caldeirão, uns no di Obelix, outros no do J.César, etc etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se isso for verdade tive azar porque no meu não havia poção mágica nenhuma...ora bolas!!
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  10. Verdade...
    Quando tomamos as "dores dos outros" acabamos por nos esquecer de nós...
    Mais vale acompanhar os outros e ajuda-los no que for preciso, mas não fazer as coisas por eles...

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo nat....mas por vezes é difícil e tendemos a envolvermo-nos demais!
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  11. tens tanta razão no que escreves,
    beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Levei tempo a perceber sabes,,,!
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  12. Todos nós acabamos por passar por momentos assim. Mas é como dizes, temos de mudar um pouco a nossa atitude. Ajudando na mesma, estando lá, mas nunca substituindo a necessidade da outra pessoa em re-erguer-se.

    Beijinhos e adorei o texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. È mesmo isso, obrigada pelas boas palavras!
      Bjs
      Maria

      Excluir

  13. Ai que eu sofro dessa síndrome! E muito!!! :((( Será por isso que sempre tive uma grande afinidade com o Óbelix?? :))

    Beijinho

    Laura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que eu me tenho esforçado para me livrar dela????
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  14. Eu era assim com meus pais , sempre querendo estar perto e ajudando , até que um belo e terrível dia minha mãe me jogou na cara que não precisa de ninguém, e aí eu comecei a pensar em mim.
    bjs

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aprendeste e avançaste...muito bem é essa a atitude certa!!
      Bjs
      Maria

      Excluir
  15. As pessoas parece que têm gosto em ser infelizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por vezes até parece mesmo...!
      Bjs
      Maria

      Excluir
  16. Um texto cheio de reflexão gostei muito do final cheio de sabedoria dar o peixe leva ao assistencialismo enquanto ensinar a pescar leva-nos ao empreendedorismo que tanta falta faz a certas pessoas acomodadas neste pais .Querida amiga obrigado pelas suas palavras ,mas mudei a pensar que estaria a fazer bem ,agora esta complicado para voltar ao blog anterior ,mas vou ver se consigo ,beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Emanuel a mudança no seu blogue pode ser boa para quem utilize outros sistemas que não o meu...continuarei a ir ler o que escreve com todo o prazer porque gostei muito mesmo que não tenha as atualizações...!
      Obrigada pela sua companhia tão assídua!
      Bjs
      Maria

      Excluir
  17. Maria, gostei do que escreveu e da analogia com o Obélix... Um grande beijinho para si! Manuela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Manuela...obrigada pelas gentis palavras!
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  18. Maria, voltei para lhe dizer que tomei a liberdade de adicionar o seu blog à minha lista de blogs favoritos... :):)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Manuela!!! Honra minha :))!
      Bjs e uma boa noite para si!
      Maria

      Excluir
  19. Carregar o peso do mundo nos ombros...
    Já me aconteceu umas vezes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que já aconteceu a todos...! Beijinhos Inês !
      Maria

      Excluir
  20. as vezes temos que tentar ir deixando algum peso do que temos as costas... por vezes torna-se insuportável continuar a caminhar assim :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O grande risco é habituarmo-nos de tal modo ao peso que já nem notamos o que carregamos ou devíamos largar..daí a importância de se falar um pouco sobre isto!:))
      Beijinhos e bom dia!
      Maria

      Excluir
  21. Penso que todas nós temos tendência para querer carregar nas costas o peso os males da humanidade. Não porque sejamos masoquistas, mas porque pensamos que é essa a nossa missão. E muitas vezes sofremos dobrado e não deixamos os outros crescerem. Porque para se crescer temos que aprender a nos levantar sózinhos sempre que caímos.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É precisamente isso Elvira! E é tão importante para a vida percebê-lo não é??
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  22. Penso que todos nós em alguma fase das nossas vidas já fomos o Obelix e aprendemos a nossa custa a deixar de se não e? Eu junto-me a esse grupo. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. À nossa custa e por vezes custa bastante a perder esse hábito...!
      Bjs
      Maria

      Excluir
  23. ando meio obelix ultimamente....
    :)
    beijokas, adorei a reflexão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ás vezes não conseguimos mesmo evitar Fabi!!!
      beijinhos e bom dia!
      Maria

      Excluir
  24. Um texto delicioso e cheio de sabedoria.
    Há fardos que só os próprios podem carregar e resolver.
    Aos amigos cabe-lhes o apoio, o ombro e os conselhos amorosos.

    Beijinhos leves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho da tua apreciação querida Pérola!
      Beijinhos muitos..para ti também!
      Maria

      Excluir
  25. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vindo António, obrigada pelas suas gentis palavras. Estou grata pelas sua visita que retribuirei!
      Um dia de de serenidade e paz para si!
      Maria

      Excluir
  26. Eu tenho 27anos e não me poderia deixar de rir com esta postagem feita por ti. Fazes-me lembrar a minha avó,ela só está bem se vir toda a gente bem à volta dela,por vezes,ela deixa-se ir abaixo porque não cuida dela e só cuida dos outros. Com a idade que ela tem,77anos,já era para ter um bocadinho de juizo e preocupar-se tambem com ela,acho eu. Por isso me ri. Beijinhos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a síndrome do Obélix ataca em qualquer idade...temos de ter atenção porque é perigosa!
      Beijinhos
      Maria

      Excluir
  27. I agree with everything you have said! Some people can keep taking from you and your energy and that is not good! You have to stand up for yourself, still be you, but help those people in a different way! Big Hugs ;o)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Satcy...fazer pelos outros não é a melhor forma de ajudar...impede o crescimento de quem é ajudado e de quem ajuda!
      Beijinhos e tem um dia fantástico!
      Maria

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...